loading

Categoria: Uncategorized

  • Home
  • Categoria: Uncategorized

Conta de luz: entenda por que ela está mais cara, e por que deve continuar a subir

Reprodução de matéria do G1

 

Energia elétrica foi o item que mais pesou na inflação oficial do país; entenda por que a maior crise hídrica em mais de 90 anos pesa tanto no bolso do consumidor.

A energia elétrica foi o item de maior peso na última divulgação da inflação oficial do país. Apenas no mês passado, a alta foi de 5,37%, o que correspondeu a 0,23 ponto percentual do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio. Em 12 meses, o acumulado está em 8,06%.

E se os brasileiros sentiram o aumento da conta de luz no bolso, a tendência é de piora. Maio foi o mês em que passou a vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que acrescenta R$ 4,169 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos ao mês. Mas, neste mês, a tarifa passou a considerar o patamar 2, que adiciona R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh.

 

O estouro de preço é consequência da crise hídrica que afeta os reservatórios das usinas hidrelétricas. O Brasil enfrenta a pior estiagem dos últimos 91 anos, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), fazendo necessário o acionamento das usinas termelétricas para suprir a queda de oferta.

Abaixo, entenda em detalhes o que está fazendo aumentar os preços de energia.

Por que a conta de luz está mais alta?

Com a crise hídrica e queda do nível dos reservatórios de hidrelétricas, a oferta de energia é compensada por usinas termelétricas. O custo de geração fica mais alto e esse preço é repassado ao consumidor.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o acionamento além do previsto de usinas termelétricas para garantir o fornecimento de energia em 2021 vai custar R$ 9 bilhões aos consumidores. De janeiro a abril deste ano, o acionamento adicional das termelétricas já custou R$ 4,3 bilhões.

Para compensar esse gasto, foi adotada a bandeira vermelha patamar 2, nível máximo de cobrança extra aos consumidores.

 

O que são as bandeiras tarifárias?

Para incentivar a economia de energia, o país tem um sistema de aumento da cobrança que se move de acordo com a condição dos reservatórios. Essas divisões foram chamadas de bandeiras tarifárias.

Quando as condições de produção pioram, há uma mudança de fase, definida sempre pela Aneel. São quatro níveis:

 
  • Bandeira verde: não gera cobrança extra no consumo de energia.

  • Bandeira amarela: gera tarifa extra de R$ 1,343 para cada 100 kWh consumidos no mês.

  • Bandeira vermelha, patamar 1: a cobrança extra é de R$ 4,169 a cada 100 kWh.

  • Bandeira vermelha, patamar 2: adicional sobe para R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh.

 
 

Bandeiras tarifárias — Foto: Juliane Monteiro/Arte G1

 

Por que está chovendo menos?

Especialistas disseram ao G1 que o período de seca intensa é consequência de uma junção de efeitos climáticos do desmatamento na Amazônia, do aquecimento global causado pela queima de combustíveis fósseis e do fenômeno natural La Niña.

Com menos árvores na Amazônia, há cada vez menos umidade para os ventos que “transportam” a chuva para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Segundo os cientistas, o aumento da temperatura também reduz a precipitação no Brasil central.

O La Niña diminui a temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico tropical central e oriental e gera uma série de mudanças significativas nos padrões de precipitação e temperatura no planeta. Um dos efeitos é a mudança de padrão de ventos na região equatorial, que se tornam mais ou menos intensos, e isso muda a chegada das frentes frias e reduz as chuvas na porção Sul do Brasil.

 

A situação vai melhorar?

Ao longo do ano, o Brasil tem meses secos e chuvosos. A crise é ainda mais grave porque os próximos meses são os de estiagem (de maio a setembro). A expectativa, portanto, é que o nível dos reservatórios deve baixar ainda mais.

Com essa condição em vista, não há previsão de desligamento das termelétricas nem de adoção de níveis mais brandos das bandeiras tarifárias.

 

Nesta terça-feira (15), inclusive, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, afirmou que a agência prepara mudanças que vão encarecer ainda mais a conta de luz já nas próximas semanas. O valor da bandeira vermelha patamar 2 está sendo discutido e deve ser aumentado em cerca de 20%, passando dos R$ 7.

Pepitone estimou que a crise hídrica deve causar uma alta de 7% a 7,5% nas contas de luz neste ano e de pelo menos 5% em 2022.

 

Existe perigo de racionamento ou apagão?

O Ministério de Minas e Energia descarta a possibilidade de apagão em 2021.

O governo, porém, estuda publicar uma medida provisória que concentra poderes para adotar medidas de racionamento de energia elétrica.

De acordo com o blog da Ana Flor, a proposta de MP cria a Câmara de Regras Operacionais Excepcionais para Usinas Hidrelétricas (Care), que passaria a gerenciar a vazão das usinas hidrelétricas.

O foco é, de maneira urgente e temporária, direcionar a utilização dos recursos hídricos para a garantia de produção de energia elétrica.

Como Devo Realizar a Limpeza nos Módulos Fotovoltaicos?

18/08/2021 – Reprodução de matéria da Solar Inove

 
 
 

A limpeza dos painéis fotovoltaicos é de extrema importância, pois ela interfere diretamente na sua eficiência.

 

Como os painéis fotovoltaicos são instalados no telhado e temos a incidência da chuva, ela mesmo irá realizar esta limpeza, o grande problema são os meses em que a incidência da chuva é menor, nesses meses é necessário realizar a limpeza destes painéis.

 

Cada fabricante específica no manual o intervalo de limpeza dos painéis fotovoltaicos, normalmente sendo esse período de 1 ano, mas esse tempo pode ser diminuído conforme a quantidade de poeira no módulo.

 

Para realização da limpeza do módulo, utilize água limpa com uma diferença de temperatura de ±10°C em relação a temperatura do módulo e uma escova macia de lã ou fibra sintética para eliminação das manchas e sujeiras.

 

Em caso de utilização de equipamentos de pressão, regule a pressão da água para 5MPa a fim de evitar danos a superfície de vidro e perda a taxa de transparência da luz.

 

Como a Solar Inove tem parcerias com a BYD e a Amerisolar, será listado abaixo as dicas para a limpeza dos painéis fotovoltaicos das mesmas, mas lembrando, todos estes dados estão no manual do fabricante, logo, módulos de outras marcas também terão essas informações em seus manuais.

 

BYD

As dicas da BYD podem ser encontradas no seu manual de instalação. Caso você deseje baixar o manual de instalação clique aqui.

  • Não é permitido a utilização de produtos que contém álcool ou aditivos em sua composição;

 
  • Cuidado ao utilizar equipamentos de limpeza que exerçam contato direto e pressões excessivas nas superfícies do produto, pois podem ocasionar danos ao módulo;

 
  • Estes danos vão desde riscos nos vidros causado pelo efeito de abrasividade, até o comprometimento dos componentes do módulo, incluindo trincas e microfissuras nas células fotovoltaicas.

 
  • O processo de limpeza dos módulos deverá ser realizado a cada três meses;

 
  • Antes de realizar a limpeza, certifique que não há riscos ou fissuras na superfície do módulo;

 
  • Não use relógio, joias ou acessórios que possam causar riscos ou fissuras no módulo durante a limpeza;

 
  • Não utilize ferramentas rígidas para realização da limpeza do módulo.

 

Amerisolar

As dicas da Amerisolar podem ser encontradas no seu manual de instalação.

  • Use sempre água limpa e uma esponja ou pano macio para a limpeza;

  • Na maioria das condições meteorológicas, a chuva é suficiente para manter a superfície de vidro do módulos limpos;

  • Limpe a superfície de vidro do módulo conforme necessário.

 

Dicas Gerais

A limpeza do módulo fotovoltaico é parte fundamental no processo de manutenção, sendo assim, deve ser realizada de forma muito cuidadosa, levando em consideração alguns fatores importantes como:

 
  • Os intervalos do processo de limpeza;

  • Os produtos e equipamentos utilizados para correta remoção da sujidade da superfície.

 

Seguindo estes pontos citados, você irá garantir o desempenho do produto conforme projetado.

 

Além disso, o horário da limpeza destes módulos é de extrema importância.

 

O momento correto do dia para realização deste processo é no início da manhã ou final da tarde, quando os módulos apresentam uma menor temperatura em sua superfície.

 

Com uma menor temperatura nos módulos, é possível evitar danos causados ao vidro devido ao choque térmico, ou seja, evitar o contato da água fria com a alta temperatura presente na superfície do módulo.

 

Abaixo, segue um vídeo de como realizar a limpeza dos painéis fotovoltaicos.

 
 
 
 

Conclusão

Em suma, a limpeza dos módulos deve ser feita regularmente, para manter a melhor eficiência possível.

 

Sempre busque informações no manual do fabricante de como deve ser realizada a limpeza.

 

Caso tenha alguma dúvida sobre a limpeza dos painéis solares, procure o fornecedor ou então contrate uma empresa especializada para realizar o serviço. Dessa maneira, você não corre o risco de estragar os seus painéis.